Estudantes do curso de Letras da FAFICA participam da Oficina Criação Poética Sensorial Inclusiva


Em parceria com o SESC, o Circuito de Criação Literária
com o escritor Carlos Correia Santos acontece até a próxima sexta-feira (09)

 

 

Iniciado na noite da segunda-feira (05), o Circuito de Criação Literária, evento realizado pelo Curso de Letras da FAFICA em parceria com o SESC Caruaru, e acontece até a próxima sexta-feira (09). O projeto do SESC Arte da Palavra, oferece: “Criação Poética Sensorial Inclusiva”, oficina de criação literária que em sua dinâmica envolve duas condições especiais e instigantes: sentir na pele aspectos dos campos dos déficits e, a partir disso, abrir os campos da sensibilização para fazer composições literárias (poemas ou prosa poética), criada e desenvolvida há dois anos pelo escritor, músico e terapeuta inclusivo Carlos Correia Santos.

 

CIRCUITO DE CRIAÇÃO LITERÁRIA – 05 a 09 de março das 19h às 22h na FAFICA

 

Oficina: “Criação Poética Sensorial Inclusiva”, com CARLOS CORREIA SANTOS:

 

Viver o universo das deficiências para entender a Inclusão e criar textos sensibilizados e sensibilizadores. Essa é a premissa básica da Oficina de Criação Poética Sensorial Inclusiva, criada e desenvolvida há dois anos pelo escritor, músico e terapeuta inclusivo Carlos Correia Santos. Ao longo das aulas, os participantes vivem experiências sensoriais capazes de transportá-los para o universo das deficiências: a cegueira, a surdez, a limitação motora, a polifonia intelectual. A partir dessas vivências, são estimulados a produzir textos poéticos. O viés basilar da iniciativa, portanto, é a criação de jogos perceptivo-cognitivos estruturados para estimular os sentidos (visão, olfato, paladar, tato) com o objetivo de provocar a aptidão para criar poemas. Oficina que pode ser realizada junto a pessoas com e sem deficiência.

 

O processo se inicia com uma breve capacitação em Inclusão. Os alunos entram em contato com uma breve explanação sobre a evolução histórica vivida pelas sociedades desde a era primitiva até hoje no que tange as relações com as pessoas com as pessoas com deficiência. A ideia é fazer entender como chegamos ao que hoje se chama de ação social inclusiva. Nessa breve capacitação, outros temas são abordados, como ética verbal, mediação (educacional e artística) nas inter-relações com pessoas com deficiência e marcos legais (que leis hoje em dia norteiam a Inclusão).

 

Feita essa explanação, cada encontro abordará um universo das deficiências. Um dia será dedicado a experimentações perceptivas em torno da cegueira. Outro dia, será dedicado à surdez, outro aos déficits cognitivos e outro aos déficits físicos. Dentro de cada dia de encontro, os participantes terão informes teóricos, farão experimentações sensórias e produzirão textos a partir desse conteúdo.

 

Fotos: Ermesson Cruz – CEPED/FAFICA