Semana da Consciência Negra é celebrada com debate e apresentações no 4º Atelier Afro-Brasileiro na FAFICA


 

Estudantes do curso de História debateram com os convidados sobre a luta das mulheres negras carcerárias,
e realizaram exposições no 4º Ateliê Afro-Brasileiro junto aos estudantes dos cursos de Pedagogia e Letras

 

Na noite da segunda-feira (20), estudantes do curso de História da FAFICA, acompanhados pela professora Michele Guerreiro, participaram de um debate em alusão ao Dia da Consciência Negra, celebrado em todo o Brasil no dia 20 de novembro. Participaram do debate, a professora Michele Guerreiro, representantes da União dos Negros pela Igualdade (Unegro), Ailza Trajano e Ronaldo Sales, a gerente de Enfrentamento à Violência da Secretaria de Políticas para Mulheres de Caruaru, Joana Figueirêdo e o mediador, Luís Lopes, estudante do curso de Comunicação Social da UFPE, que na ocasião, representou o Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes (CUCA/UNE).

 

Durante o encontro, foi exibido um documentário produzido pela Pastoral Carcerária, que abordava mulheres negras carcerárias e as péssimas condições dentro de presídios para mulheres. Em seguida, os convidados falaram sobre a luta pela igualde racial e a importância de celebrar o Dia da Consciência Negra, todos os dias. Ao final, o debate foi iniciado e mediado por Luís Lopes (CUCA/UNE).

 

4º Ateliê Afro-Brasileiro: espaço de saberes e sabores

 

A terça-feira (21) foi o dia das apresentações do 4º Ateliê Afro-brasileiro: espaço de saberes e sabores. Estudantes do curso de História, Pedagogia e Letras utilizaram a Tenda de Leituras, o corredor do Bloco A e o pátio da faculdade para as exposições. Idealizado pelo professor Wilson Rufino no âmbito da disciplina de Prática de Ensino VII, na turma do oitavo de Pedagogia, as atividades foram acompanhadas por ele e pela professora do curso de História, Michele Guerreiro.

 

Durante o Ateliê, várias atividades trabalham questões voltadas para a cultura afro-brasileira, o que descende da África, mas que foram produzidos no Brasil. O curso de história apresentou trabalhos de cinco países africanos que falam a Língua Portuguesa, que são: Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau. Os estudantes falaram sobre a cultura e história desses países, além de apresentações lúdicas, como a capoeira, declamação de poesia, danças e a culinária regional.

 

Fotos: Ermesson Cruz / CEPED FAFICA

Clique aqui e confira todas as fotos das apresentações.